Escolhas, ou imposições…..

Estava conversando com um amigo de longa data, e ele reclamava comigo que o mundo se perverte a cada momento, que a cada momento está mais descrente com o futuro que nos aguarda. Ao indagá-lo o porquê ele me diz que nossos políticos estão remando contra o bem estar da população, aprovando leis que ajudam a acabar com a família.

Logicamente me assustei, e pergunto:

_Que lei é este amigo.

A lei que dá direitos a homossexuais de viverem juntos, e constituírem famílias, a lei que nos impede de ser contra a opção sexual deles, e o pior as mulheres estão fazendo manifestação nas ruas contrarias as afirmações de um policial canadense que disse que as levam a ser estupradas são resultado de suas vestes chamativas.

Na hora fiquei um pouco perplexo por tais afirmativas virem de quem veio, uma pessoa que sempre está pronto a ajudar muitas pessoas, conhecidas ou não, em vários momentos o vi se deslocar em seus momentos de lazer, para ajudar pessoas, abrir a carteira para auxiliar pessoas que não conhece, dentre vários outros gestos que demonstram seu apreço ao ser humano.

O que justificaria sentimentos tão antagônico na mesma pessoa? A religião poderia ser um dos motivos? Afinal ele é protestante, e busca “seguir fielmente” a Bíblia, apesar que a própria expressão já demonstra mais antagonismos, afinal é um livro extremamente contraditório, encontramos respostas para todos os gostos dentro dela.

 

Tais questões são complexas demais, grande parte são creditadas a cultura de cada um, regiões mais rígidas nos costumes  tendem a ter repulsa ao que desconhecem, ou o que lhes são estranhos em hábitos.

 

Mas credito grande parte deste preconceito à religião, que não evolui, fica presa a centenas de anos atrás apenas para nutrir a crença em um deus que está ultrapassado, anacrônico, perdido no tempo.

 

Em o Livro dos Espíritos na questão 59 Kardec nos fala o seguinte:

 

“devemos concluir, então, que a Bíblia é um erro? Não; mas que os homens se enganaram na sua interpretação”.

 

Advertência aos que condenam a Bíblia sem levar em conta os fatores históricos e a linguagem figurada do texto.

 

As pessoas na ânsia de agarrar-se a algo, afinal precisamos ter em que acreditar, se prendem a valores antigos, e assim irão viver e sem saber, ou tendo respaldo para externar seus valores pútridos solta a voz em alto e bom som, rasgando todas as lições de amor que Jesus nos trás no Novo Testamento, que estão muito acima destas convenções mesquinhas e provincianas.

 

Eu fico buscando uma resposta para a dificuldade alheia em entender frases de Jesus como esta por exemplo:

 

“Amarás o teu próximo como a ti mesmo.” – Destes mandamentos dependem toda a lei e os profetas

Jesus Cristo – (Mat, Cp 22, vr 39-40)

 

Será que Amar ao próximo é subjugar o próximo ás nossas escolhas? É querer que as pessoas sejam conforme nosso ponto de vista?

 

O exemplo é a única maneira de sermos agentes transformadores, nossas palavras se perdem ao vento com muita constância, mas nossos exemplos perduram, Jesus vivenciava suas palavras, por isto seu impacto foi tão grande em tantas pessoas, inclusive nos que o censuravam, afinal se ele mostrava que era possível fazer o que falava se tornou um perigo ao estilo de vida opressor.

 

E nos dias atuais estas promessas ainda movem uma multidão, só que antes era por medo, hoje é por comodismo.

Anúncios

Sobre Fábio Duarte

@FabioDuarte_BH
Esse post foi publicado em Artigos Fábio Duarte. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s