O que você faria?

Imagine que é uma típica tarde de sexta – feira e você está dirigindo em direção à sua casa.Você sintoniza o rádio. O noticiário está falando de coisas de pouca importância. 

Você ouve que numa cidadezinha distante morreram 3 pessoas de uma gripe, até então, totalmente desconhecida. Na segunda-feira, quando acorda, escuta que já não são 3, mas 30.000, as pessoas mortas pela tal gripe, nas colinas remotas da Índia.de Doenças dos EUA . 

Começa o pânico na Europa. As informações dizem que, quando você contrai o vírus, é questão de uma semana de vida. Em seguida, as pessoas têm 4 dias de sintomas horríveis e morrem. 

De repente, vem a notícia esperada: conseguiram decifrar o código de DNA do vírus. É possível fabricar o antídoto! É preciso, para isso, conseguir sangue de alguém que não tenha sido infectado pelo vírus. 

Corre por todo o mundo, a notícia de que as pessoas devem ir aos hospitais fazer análise de seu sangue e doar para a fabricação do antídoto. 
Você vai de voluntário com toda sua família, juntamente com alguns vizinhos, perguntando-se, o que acontecerá. Será este o final do mundo? De repente, o médico sai gritando um nome que leu em seu caderno. O menor dos seus filhos está ao seu lado, se agarra na sua jaqueta, e lhe diz:
Pai? Esse é meu nome! 
E antes que você possa raciocinar, estão levando seu filho, e você grita: 

“Esperem!” 

E eles respondem: 

“Tudo está bem! O sangue dele está limpo, e é sangue puro. 

Achamos que ele tem o sangue que precisamos para o antídoto.” 
Depois de 5 longos minutos, saem os médicos chorando e rindo ao mesmo tempo. 
E é a primeira vez que você vê alguém rindo em uma semana.-“Posso falar-lhes um momento? Não sabíamos que o doador seria uma criança e precisamos que o senhor assine uma autorização para usarmos o sangue de seu filho.” 

Quando você está lendo, percebe que não colocaram a quantidade de sangue que vão usar, e pergunta: 

“Mas, qual a quantidade de sangue que vão usar?” 

O sorriso do médico desaparece e ele responde: 

– “Não pensávamos que fosse uma criança. Não estávamos preparados…Precisamos de todo o sangue de seu filho…”Você não pode acreditar no que ouve e trata de contestar:”Mas…mas…” 

O médico insiste: 

-“O senhor não compreende? Estamos falando da cura para o mundo inteiro!

Por favor, assine! Nós precisamos de todo o sangue!” 

Você, então, pergunta:-“Mas vocês não podem fazer-lhe uma transfusão?”E vem a resposta:”Se tivéssemos sangue puro, poderíamos. Assine! Por favor, assine!” Em silêncio, e sem ao menos poder sentir a caneta na mão, você assina. 

Perguntam-lhe: -“Quer ver seu filho agora?” 

Ele caminha na direção da sala de emergência onde se encontra seu filho, que está sentado na cama, e ele diz: -“Papai!? Mamãe!? O que está acontecendo?” 

O pai segura na mão dele e fala: -“Filho, sua mãe e eu lhe amamos muito e jamais permitiríamos que lhe acontecesse algo que não fosse necessário, você entende?” O médico regressa e diz:-“Sinto muito senhor, precisamos começar, gente do mundo inteiro está morrendo, o senhor pode sair?” 
Nisso, seu filho pergunta: -“Papai? Mamãe? Por que vocês estão me abandonando?” 

E na semana seguinte, quando fazem uma cerimônia para honrar o seu filho, algumas pessoas ficam em casa dormindo, e outras não vêm, porque preferem fazer um passeio ou assistir um jogo de futebol na TV. 

E outras veêm, mas como se realmente não estivessem se importando. Aí você tem vontade de parar e gritar:

– MEU FILHO MORREU POR VOCÊS!!! NÃO SE IMPORTAM COM ISSO?

É curioso como é simples para algumas pessoas debocharem de Deus, e dizer que não entendem como o mundo caminha de mal para pior. É curioso como acreditamos em tudo aquilo que lemos nos jornais, mas questionamos as palavras de Deus. É curioso como todos querem ir para o Céu, mas nada fazem para merecê-lo. É curioso como as pessoas dizem: “Eu creio em Deus!”, mas com suas ações, mostram totalmente o contrário. 

É curioso como a luxúria, crua, vulgar e obscena, passa livremente através do espaço, mas a discussão pública de DEUS é suprimida nas escolas e locais de trabalho. 

CURIOSO, NÃO É?

É curioso como me preocupo com o que as pessoas pensam de mim, mas não me preocupo com aquilo que DEUS possa pensar de mim.

“Anônimo”

Anúncios

Sobre Fábio Duarte

@FabioDuarte_BH
Esse post foi publicado em Mensagens (Ensinamentos). Bookmark o link permanente.

4 respostas para O que você faria?

  1. marcia disse:

    Jesus realmente é único!!!!!!!

  2. Cleide disse:

    Concordo, e acrescento: as pessoas normalmente esquecem de AGRADECER a Deus.
    Agradecer por pequenas graças que recebemos no dia a dia e não percebemos:
    – agradecer por ir e voltar do trabalho com saúde,
    – por ter o que comer todos os dias,
    – pela saúde dos filhos,
    – pelo banho quente e roupas limpas,
    – pelos amigos,
    – por dias maravilhosos, ensolarados ou chuvosos,
    – e por aquilo que de mais valor recebemos: A VIDA!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s