O real e verdadeiro significado do perdão na vida de todos os seres

Se uma ação equivocada tiver sido realizada, que não se perca tempo, além do requerido, com a culpa. Nas fases iniciais do processo de retomada do autêntico caminho, ela é importante, pois atrai o arrependimento, atitude fundamental para a cura e o perdão. O arrependimento promove no ser um deslocamento das forças que motivaram o erro. Sem esse deslocamento, a reincidência é prevista – no mesmo setor ou em outro, com a mesma veste ou com outras. Assim, não se restabelece o equilíbrio almejado, e a vontade enfraquece.


Na verdade, o perdão é uma oportunidade de se reequilibrarem erros cometidos. Está ligado à determinação de trilhar caminhos retos. A energia interior segue leis precisas e não se apresenta quando não pode ser acolhida. Portanto, é preciso abertura para que, pela graça, essa energia possa atuar. Ser perdoado implica decisão de não refazer o mesmo ato ou outro equivalente em ocasiões posteriores.

Palestras do autor poderão ser ouvidas, gratuitamente, no site www.irdin.org.br
Nesse trajeto de quedas e retomadas, é fundamental não ser condescendente; é preciso crer que o verdadeiro amor conhece os caminhos desse trajeto e a meta última do ser, estando sempre pronto a dar a mão aos que querem avançar. Quando a fé está presente e se quer decididamente entregar a vida ao eu interno, o impossível acontece. Para esses, a lei soa compassiva, sábia, e anuncia-lhes: “O poço está sendo revestido. Nenhuma culpa” – como instrui o I Ching, obra clássica da China antiga.
Na transformação de um ato equivocado, a gratidão é importante e também a atenção para não se cair num estado de amoralidade.
A fraqueza não precisa assumir conotação culposa nem deve ser acolhida. Sua aceitação corresponde a um fechamento do ser para as correntes de energia que o impulsionam para o passo evolutivo que deve dar. Essas correntes provêm do eu superior ou da mônada, que as recebem de fontes maiores. Se não são captadas pelo eu consciente, o mecanismo por intermédio do qual podem ser recolhidas vai-se afrouxando, dificultando essa captação. A concessão ao que é ultrapassado desvitaliza esse fluxo de energia, traz um afastamento da fonte de vida interior e redunda em depressões consideráveis.
Esse movimento de captação e resposta é como um músculo: se exercitado na correta direção, fortalece-se; definha-se quando negligenciado ou mal-utilizado. A cada resposta positiva ao impulso de evolução esse mecanismo se robustece, e o sagrado aproxima-se da face da Terra.
O consciente esquerdo – aglomerado de forças geradas pelo exercício do livre-arbítrio nas experiências passadas do indivíduo, positivas ou não – exprime-se por intermédio da lógica, da dedução, da análise e da comparação. Pouco ou nada sabe do que é novo e genuíno. Manipula o que possui em seus arquivos, mas desconhece o que o transcende. Ele não é para ser aniquilado, mas retirado da posição de controle e influência que geralmente ocupa. No lugar correto, será iluminado pelas energias do consciente direito; a este servirá de instrumento para expressão no mundo material, até que ambos se integrem.
Para que essa transmutação ocorra, ou seja, para que o consciente direito – veículo de expressão das energias da alma e da mônada – desperte e assuma o controle da vida do ser, é preciso adesão incondicional ao impulso evolutivo, persistência e amor pela meta, flexibilidade mental, desapego e capacidade de ousar.

Trigueirinho.
Palestras do autor poderão ser ouvidas, gratuitamente, no site www.irdin.org.br

Anúncios

Sobre Fábio Duarte

@FabioDuarte_BH
Esse post foi publicado em Artigos Diversos. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para O real e verdadeiro significado do perdão na vida de todos os seres

  1. o Sublime do ser humano é saber perdoar e por outro lado perdoar-se.
    Quando estamos convictos de que devemos amar ao próximo como queremos que nos ame; daí já se determina, que não faça nada a ninguém que não queira que lhe seja feito.
    Portanto, ao descobrirmos que erramos, falhamos, omitimos como nosso semelhante, é digno, é heróico, é sublime, ir a quem falhamos, a quem omitimos a quem erramos e nos desculpar.
    Tanto ficaremos mais evolutivos, desapegados e longe nos vícios da matéria, como quem nos perdoa, nos desculpa, se sentirá também da mesma forma porque estaremos mostrando um ato de amor, de respeito, de evolução interna e não uma obrigação.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s