Porque me declarar cristão?

Se não conseguimos exemplificar como tal….. João nos relata uma dica de Jesus que pode nos auxiliar.

 

 

“Mesmo que não acrediteis em mim,

crede nas obras,

a fim de reconhecer de uma vez que o Pai está em mim e eu no Pai.”

(Jo, 10,38)

A lepra da alma é mais contagiosa e terrível do que o mal de Hansen.  Quando assumimos o papel da mudança intima, somos bombardeados por todos os lados, é como se as cores das coisas que nos perturbam a consciência ganhassem vida e nos convidasse a deixar de lado a melhora que almejamos. Obras é a melhor maneira de mostrar a nós mesmos que somos capazes que podemos. A forma figurativa do pecado original materializado por Adão aparenta ser mais forte que o Dom recebido em Cristo. Todo ser humano é capaz de vencer os vícios, de escapar as armadilhas da serpente, afinal somos capazes sim de dizer NÃO, ao que não nos favorece, e não se iludam a estrada é sinuosa e iremos derrapar em vários trechos, mas nosso desejo de melhora vai prevalecer, basta apenas que mantenhamos o foco em nosso futuro, afinal já temos consciência que a vida não cessa no instante da morte, ao contrário, a idéia de sobrevida é algo corrente.

O pensador francês Blaise Pascal nos fala da “segunda natureza” que se sobrepõe à nossa natureza originária, boa. Seria como ser mal algo natural, que não possamos vencer, assim como a teoria ateia, que nascemos com o bem e o mal, e que travaríamos uma guerra incessante sem vencedor contra nós mesmos. Oras e as conquistas? Onde se enquadraria a evolução contínua, e nossos esforços no decorrer dos séculos e séculos?

Somos bem mais do que isto, a história da humanidade é prova viva que somos mais, que somos queridos por algo maior, afinal nos permite ter consciência de nossa existência e termos a capacidade de vislumbrarmos algo melhor, além deste mundo de situações comezinhas que tanto nos prende em ranços pequenos. Somos mais do que isto, todos, sem exceção. Mesmo os que sentem ser melhor que outros, ou os que se sentem menores, todos estamos em um duto de mão única que tende a nos levar a perfeição do ser, alcançando graus de pureza nunca vistos por nossos pequenos olhos humanos. E para que tudo isto aconteça é preciso algo de suma importância: – Começar – , só que não se entristeça, pois seu inicio se deu a muito tempo atrás quando fomos criados por este Deus de amor de bondade infinita que nos quer sempre o bem, e por isto não é injusto com nenhum de nós, nos trata a todos de igual maneira, e não nos poupa de aplicar lições de engrandecimento e conquistas, valorizando assim os méritos adquiridos.

A pouco vi algumas pessoas protestando contra outras por serem consumistas. Toda manifestação é válida, afinal é um alerta que a moda do gasto desenfreado já está ficando ultrapassado, mas a liberdade individual é algo sagrado, deve ser preservado. Demonstrar indignação é normal devido ao nosso estágio, mas será que já entendemos o porque de estarmos indignados? E nós sabemos quem somos?

“as obras que o Pai me encarregou de consumar.

Tais obras, eu as faço

e elas dão Testemunho de que o Pai me enviou”

(Jo 5,36)

Jesus não falou em vão de amor, ele viveu o amor, ele aplicou o amor, nós também podemos, nós também iremos combater a lepra que nos corroe a alma através de nossas obras, e com este trabalho continuo iremos suplantar o mal que está em nós, assim venceremos nossas chagas que insistem em nos ferir, e pior com nossa conivência. Me lembro agora do Cp. V do Evangelho Segundo o Espiritismo item 23 – Os Tormentos Voluntários – Onde nos lembra que estamos incessantemente à procura da felicidade, e esta nos escapa a todo momento, mas sabem porque? Porque nos miramos em algo que não nos dá felicidade, e sim um contentamento momentâneo, algo que passa, e nos causa mais angustia ainda, e cita também que a inveja e o ciúme não repousa em nós, comparando-os como uma febre constante, que nos atormenta, e nos tira a paz consciêncial ao qual tanto buscamos. Isto está intrínseco em nós, mas podemos sim nos curar deste vírus, basta que para isto nos entreguemos nos braços de Jesus, e seus ensinamentos através de exemplos vivos.

 

“Quantos tormentos, consegue evitar aquele que sabe contentar-se com o que possui, que vê sem inveja o que não lhe pertence, que não procura parecer mais do que é! Está sempre rico, pois, se olha para baixo, em vez de olhar para acima de si mesmo, vê sempre os que possuem menos do que ele. Está sempre calmo, porque não inventa necessidades absurdas, e a calma e meio das tormentas da vida não será uma felicidade?”

(ESE Cp V – 23)

Ao sairmos deste ciclo, e nos libertamos damos um salto rumo ao entendimento de nós mesmos, “Em verdade em verdade vos digo: quem comete o pecado, é escravo” (Jo, 8,34), quando nos tornamos escravos de algo, afetamos nosso equilíbrio como um todo, afetando nosso corpo de carne, e com isto nossa saúde física acaba sendo debilitada, mas quando nossa mente se reequilibra, mesmo com o corpo debilitado nada nos afeta, basta para isto nos mirarmos em grandes nomes que não usaram de desculpas devido a suas limitações físicas para mudar a vida de alguém, cito Betinho que auxiliou muitas pessoas a terem uma visão diferente do próximo, fazendo com que passássemos a nos olhar com mais ternura e gratidão por sermos irmãos em Cristo. Agora pense positivo e conforme sua condição mude a vida de alguém, e lembre-se, que este alguém pode ser você mesmo.

“E eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos”

(Mat 28,20)

 

Anúncios

Sobre Fábio Duarte

@FabioDuarte_BH
Esse post foi publicado em Artigos Fábio Duarte. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Porque me declarar cristão?

  1. RAQUEL MONTENEGRO disse:

    CONCORDO COM O ARTIGO…E DIGO SEM O AMOR DO MESTRE JESUS,NADA SERIAMOS…TEMOS QUE BEBER NA MESMA FONTE,INDEPENDENTE DE QUAL RELIGIAO…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s