Quanto custa um Smartphone, o mesmo de um ser humano?

Lendo o “The New York Times”, uma frase me chamou a realidade o quanto ainda somos alheios ao que nos acontece em volta, nossas preocupações como o todo é bem limitado ao nosso círculo familiar.

“produzir em fábricas mais confortáveis e amigas dos trabalhadores” ou “reinventar o produto todos os anos e torná-lo melhor, mais rápido e mais barato, o que exige fábricas que parecem más para os padrões americanos. Neste momento, os clientes estão mais preocupados com o novo iPhone do que com as condições de trabalho na China”.

Está frase foi dita por um alto funcionário da Apple para justificar que nada seria feito para as péssimas condições de trabalho na FOXCONN que produz diversos produtos dentre eles Smartphones que compramos aos montes tão logo estejam nas prateleiras.

E não se engane pensando que é culpa dos governos autoritários que não fiscalizam tais empresas, pois esta mesma FOXCONN tem fabricas no Brasil e acumula multas, reclamações, processos e nada é feito para reverter tal quadro, uma vez que seus lucros cada vez maiores permite tal exploração sem atrapalhar seus projetos de expansão, e a sensibilidade para mudar o quadro existente por parte desta empresa está representado nas declarações de seu presidente:

 

A Hon Hai(Dona da Foxconn) tem uma força de trabalho de mais de um milhão ao redor do mundo e como seres humanos são animais também, gerenciar um milhão de animais me dá dor-de-cabeça,” disse o CEO da Hon Hai Terry Gou em uma festa de fim de ano recente, acrescentando que ele quer aprender de Chin Shih-chien, diretor do Zoológico de Taipei, sobre como animais devem ser gerenciados.

 

Nossa consciência de coletivo está restrita, e assim ficará por muito tempo, devido a nossa fraca percepção de amar ao próximo que nos é desconhecido, nossa luta atual é amar os que estão a nossa volta, falar em amor de um desconhecido que está do outro lado do mundo é muito para nossa pequenez, ou talvez eu esteja errado e o que falta é apenas informação que nos é negligenciada?

 

Vamos pensar a respeito sobre o que nos é relevante, saber como tal produto é feito ou ter este produto por um preço accessível?

 

O Livro dos Espíritos: 860). Pode o homem, por sua vontade e pelos seus atos, evitar acontecimentos que deviam realizar-se e vice-versa?

 

– Pode, desde que esse desvio aparente possa caber na ordem geral da vida que ele escolheu. Além disso, para fazer o bem, como é do seu dever e único objetivo da vida, ele pode impedir o mal, sobretudo aquele que possa contribuir para um mal ainda maior.

 

Está questão do “O Livro dos Espíritos” nos remete a filosofia dos “porquês” da vida, quando os Espíritos me dizem que nosso único objetivo é fazer o bem não seria o caso pensarmos um pouco além na hora de compras diversas? Qual teria peso maior em nossas decisões?

Anúncios

Sobre Fábio Duarte

@FabioDuarte_BH
Esse post foi publicado em Artigos Fábio Duarte. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s