Alice no país das maravilhas

Obra lançada em 1864 após conversas de Charles Lutwidge Dodgsom, mais conhecido por seu pseudônimo Lewis Carrol, com a menina Alice Lidell às margens do Tâmisa se tornando um estrondoso sucesso. Este Best Seller nos cativa por toda magia em nos impregnar de bons propósitos , transformando a vida monótona de uma criança em um mundo de aventuras e conquistas. Uma trama que nos prende, graças às possibilidades de que somos capazes em realizar grandes feitos, e amizades calorosas, principalmente ao levar a protagonista à condição de salvadora, de um país oprimido.

Guardando as devidas proporções em relação à fictícia obra, podemos explorar o desejo em cada um de nós em fugir da realidade que nos cerca, de nos ancorarmos em fórmulas mágicas que nos catapulta de uma situação reclusa, para uma vida cheia de emoções e vitórias.

“(…) Que cada passo, cada ato, cada pensamento, enfim, tudo quanto lhes é próprio, constitua em si uma alegria pura; e que está alegria exteriorize a toda hora.”

– Carlos Bernardo Gonzalés Pecotche

Almejamos uma nova realidade quando estamos insatisfeitos com a que levamos é o melhor caminho evidente que conjugada com a alegria mesmo nas adversidades.

 Nossa rotina nem sempre pode ser pautada na alegria contínua, devido a uma série de ações externas, ou até mesmo interna. Cabe a nós sabermos mudar este quadro.

Se ler até aqui já é uma amostra que gosta de absorver novos conceitos, novas idéias, mesmo que não concorde, adquire bens morais e intelectuais pelo estudo ou experiências para argumentações posteriores.

O Espiritismo nos ajuda nesta mudança de estado emocional nos apontando uma direção para o tão sonhado “Mundo Novo” ou “País das Maravilhas” que é nosso interior. Chamando-nos para uma reflexão de quem somos, porque aqui estamos, e para onde vamos.

Alice em sua aventura vai descobrindo e começa a perceber que não é um ser manipulável, que sua força interior existe, e mais, pode mudar o rumo de sua vida presente, refletindo assim nas próximas existências.

Toda mudança é desgastante e envolvendo muitas batalhas, renúncias, privações e altera nosso estilo de vida. Mas fiquemos atentos a certos pontos. Este estilo de vida que levamos é o que queremos ou é o que conhecemos? Estas mudanças serão benéficas?

“Felicidade não é o que acontece na nossa vida, mas como nós elaboramos esses acontecimentos. A diferença entre o sábio e o ignorante é que o primeiro sabe aproveitar suas dificuldades para evoluir, enquanto o segundo se sente vítima de seus problemas”

Roberto Shinyashiki

O Espiritismo nos convida a aceitarmos as diferenças respeitar opiniões, buscar entender o próximo dentro de seu contexto cultural, abolindo o preconceito e julgamentos.

Em um segundo momento nos trás a oportunidade de colocarmos em prática a higiene mental em ação com a instrução necessária adquirida estenderemos as mãos a quem precisa, e com isto criamos um exercito de bem feitorias que irão nos auxiliar nas futuras missões em prol da evolução intelecto/moral.

Anúncios

Sobre Fábio Duarte

@FabioDuarte_BH
Esse post foi publicado em Artigos Fábio Duarte e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Alice no país das maravilhas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s