A Lei de Amor – O Livro dos Espíritos

fé em cristo

 

O Poder da Fé – O Evangelho Segundo o Espiritismo

 

O amor resume toda a doutrina de Jesus, porque é o sentimento por excelência, e os sentimentos são os instintos elevados à altura do progresso realizado. ESE

 

Uma maneira bem fácil de entender a Lei de Amor, basta que façamos o que Jesus fez, imitando sua postura e auxiliando ao próximo como ele auxiliou. Mas……Somos parte da criação, estamos galgando os degraus da evolução, sendo assim nossa disposição de auxiliar o próximo vai divergir e muito da forma que Jesus atuou enquanto esteve encarnado na Terra, entre seus iguais. Uma das formas que usamos para buscarmos esta aproximação é a fé, assim como Jesus sempre teve fé em nós por já ser um Espírito com bastante bagagem moral e sendo conhecedor das leis de Deus que todos vamos um dia chegar ao estado de Espíritos Perfeitos, assim com descrito em O Livro dos Espíritos questão 116, Kardec interroga os Espíritos sobre a possibilidade de algum Espírito se manter perpetuamente na condição de ignorante acerca das leis divinas, e os Espíritos respondem: “Não; todos se tornarão perfeitos (…)”. Evidente que cada um a seu tempo, mas todos nós alcançaremos a condição de seres angelicais, e é baseado nesta fé que Jesus veio até nós e nos trouxe preciosas lições de que com o Amor alcançaremos rapidamente a libertação da matéria.

“O Espírito deve ser cultivado como um campo. Toda a riqueza futura depende do trabalho atual. E mais que os bens terrenos, ele vos conduzirá à gloriosa elevação. Será então que, compreendendo a lei do amor, que une a todos os seres, nela buscareis os suaves prazeres da alma, que são o prelúdio das alegrias celestes.” – ESE

Nossos bens na Terra são importantes, abrir mão de nosso ganhos materiais seria abdicar de uma nobre ferramenta de aprendizado, sabermos colocar os interesses comuns acima do desejo de posse e da supervalorização exterior nos auxilia a subirmos alguns degraus já nesta encarnação. Buscarmos compreender a julgar é prova de amor, é prova de fé no próximo, e sabedores de nossa condição de espíritos imortais é fato que estamos poupando para o futuro, acertando e errando, cheios de defeitos, mas aprendendo sempre vamos formando uma bela poupança moral para futuras encarnações.

A fé se manifesta de diversas formas:

  • A Fé Natural – Crê, mas sem perseguir algo a mais, a crença no cotidiano, na vida comum;
  • A Fé Condicional – Tem sempre um porém, sempre uma ponta de descrença;
  • A Fé Miraculosa – Eu acredito se tiver uma prova;
  • A Fé Temporal – Pura conveniência, vai depender geralmente do aperto em que nos encontramos;
  • A Fé Cega – acredita sem pestanejar em tudo que lhe é colocado;
  • A Fé racional – Acredita no que é comprovado pelo ciência, o que tem lógica racional, o que é palpável;
  • E temos a famosa Fé raciocinada, que é não crer cegamente, e não crer em qualquer coisa, não crer no milagre, não crer na conveniência, e saber entender que Deus é maior e os caminhos que levam até ele não tem lógica e muitas vezes não faz sentido algum.

Podemos resumir está ultima de maneira bem simples, é crermos em nós mesmos sabendo que Deus nunca nos abandona e nunca nos deixará na mão.

O Poder da Fé nos torna invencíveis diante as agruras humanas e se vacilarmos podemos contar com o apoio divino nas horas que não vemos mais alternativas. É importante frisar que Deus não nos criou para que sejamos marionetes ou ovelhas sem perspectivas de vida, e sim lutadores, trabalhadores, obreiros de um bem maior que é evoluirmos, e auxiliarmos, sermos servos de nossos irmãos.

Jó acreditava que Deus tinha um proposito maior para ele além do corpo físico. O relato de Jó chega a ser hilário, ler a conversa de Deus e Satã, um diálogo animado e ao mesmo tempo tenso, afinal eles disputavam uma “alma”, cada um tentando provar sua soberania um sobre o outro, evidente que a Bíblia está carregada de materialidade divina, colocando deus como um de nós só que com “super poderes”. Os dois vão testando a fé de Jó até o limite do suportável, o que ele faz com bravura, em dado momento os amigos vêm solidarizar com seus sofrimento, então mais sofrimento lhe acomete, mas quando ele começa a vacilar os amigos que ali estão o animam a peregrinar na fé em Deus. A coisa fica tão feia para Jó que até Deus começa a dar suas espetadas, e entre altos e baixos Jó sai vitorioso de sua crença na recompensa futura, a recompensa de Jó segundo a Bíblia ainda veio em vida, com muito mais pujança e sabedoria, Deus restaurou até os filhos ou novos filhos, dando a ele ainda 140 anos de vida terrena.  Evidente que excluiremos a literalidade do texto e ficaremos no campo do ensinamento, uma vez que não cremos nos fatos como descritos acima, mas é digno de registo uma vez que somos testados a todo momento em nossas fraquezas e praguejamos impropérios impublicáveis contra deus e os que lhe tem devoção. Temos que nos posicionar e decidir qual caminho seguir. A mensagem do Livro de Jó é simples na teoria, mantenha sua fé mesmo nas adversidades e confie que mantendo sua retidão colheremos bons frutos desta atual etapa.

fe espiritismo poder

O Poder da Fé

 

É certo que, no bom sentido, a confiança nas próprias forças torna-nos capazes de realizar coisas materiais que não podemos fazer, quando duvidamos de nós mesmos. – ESE

 

A Fé sincera e verdadeira é sempre calma. Confere a paciência que sabe esperar, porque estando apoiada na inteligência e na compreensão das coisas, tem certeza de chegar ao fim. – ESE

O poder da fé tem aplicação direta e especial na ação magnética. Graças a ela, o homem age sobre o fluido, agente universo modifica-lhe as qualidades e lhe dá impulso por assim dizer irresistível. – ESE

Veja que o poder da fé mexe com as forças naturais nos impulsionando atingir nossas metas, vale a pena, transferindo a fé em nós mesmos para o campo moral evidente que iremos atingir a melhora íntima.

Em Há 2000 mil anos psicografado por Chico Xavier e de autoria de Emanuel vemos o que a fé que transnformou Lívia a levou a mudar a vida de muitos, com seu fervor por um bem que não estava neste mundo abrandou o coração de pessoas brutas. A mesma fé narrada em “Diversidade de Carismas” mostra que mesmo sendo barrada por inúmeros Espíritas vaidosos, Médiuns soberbos perseguiu seu desejo de entender o que ocorria a sua volta, o porque do contato com espíritos, buscando o conhecimento, lutando contra os sentimentos contrários venceu e conquistou a tão sonhada calma interior, e de bônus aprimorou sua ferramenta de trabalho possibilitando auxiliar a muitos e ser auxiliada.

Vamos perseguir nossa fé?

Referência Bibliográfica :

Evangelho Segundo o Espiritismo – Allan Kardec

O Livro dos Espíritos – Allan Kardec

A Bíblia de Jerusalém – PAULUS

Há 2.000 Anos – Emmanuel

Diversidades de Carismas – Hermínio C. Miranda

Anúncios

Sobre Fábio Duarte

@FabioDuarte_BH
Esse post foi publicado em Artigos Fábio Duarte e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para A Lei de Amor – O Livro dos Espíritos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s